Marchas S.João

Canidelo Triunfante


Este ano, o primeiro prémio foi para a marcha de Canidelo, representada pela Associação Recreativa de Canidelo que escolheu Camilo Castelo Branco; os padrinhos Valentim Miranda e Arcelina Pimentel “interpretaram” Camilo Castelo Branco e Fanny Owen, respectivamente.

Vestidos a preceito, os cerca de 100 participantes da marcha foram os eleitos, também pela cenografia que destacava estantes com livros, um tinteiro e uma pena; já o carro alegórico, representava um jardim romântico com fonte de água com repuxo ao centro e dois bancos de jardim.

Recorde-se que Gaia ficou referenciada na literatura portuguesa através de alguns dos romances de Camilo de que é exemplo «A Doida do Candal», escrito em 1867; fez ainda uma descrição detalhada de uma ida à romaria do Senhor da Pedra em Julho de 1949.

Seguiram-se em termos de classificação, Vilar de Andorinho e Santa Marinha (450 pontos), desempatado segundo os critérios pré estabelecidos no regulamento; o mesmo escritor foi a escolha de Vilar de Andorinho, representada pela Agaiarte e Tuna A VencedoraNo carro alegórico: Camilo escrevendo quando estava preso na Cadeia da Relação do Porto, padrinhos: Fernando Silva e por Isabel Teixeira. Já Santa Marinha e a Tuna Musical, abordou o tema central das marchas, apadrinhado pelo Duo Broa de Mel. O carro alegórico representava a escola primária do autor, conhecida no meio popular como «escola da Cadela».

Seguiu-se Pedroso (446 pontos); «Pedroso canta Diniz», pela colectividade Jaca Futebol Clube; os padrinhos Alexandre Lopes e Fernanda Lopes. O carro alegórico retractava a fachada da casa museu Júlio Diniz, em Ovar e no (interior do edifício), uma biblioteca.

A freguesia de Crestuma, quinta classificada, com 406 pontos, representada pelo Grupo Folclórico e Etnográfico, a sua escolha recaiu sobre Eugénio de Paiva Freixo, um Poeta da Vila. O Grupo Dramático de Vilar do Paraíso representou a sua freguesia, Vilar do Paraíso classificada com 399 pontos, escolheu também Camilo Castelo Branco, tendo por padrinhos o casal Vítor Manuel Aires Crespo e Ana Paula Soares Crespo; Camilo «passeou-se», escrevendo os seus livros junto do portão da Vila Alice; o escritor passava por esta casa com alguma frequência, propriedade de um oficial inglês, falando-se de histórias amorosas entre ele e uma das filhas do oficial.

O Futebol Clube da Afurada, representou a freguesia da Afurada que ficou em sétimo lugar com 388 pontos. Francisco Barbosa da Costa foi a escolha por ser um escritor/historiador junto do povo da Afurada sobre quem escreveu várias histórias.

A freguesia de Mafamude, pela Associação Recreativa de Laborim, apadrinhada pelo casal Manuel Pereira de Castro e Maria Amélia de Melo e Castro, destacaram a Serra do Pilare seu mosteiro iluminado no interior com imagens rotativas de Mafamude. O escritor Fernando Pessoa escreveu «Deus quer, o Homem sonha, e obra nasce»; a frase tem servido de inspiração para homenagear todos quantos têm contribuído para a construção de um concelho mais bonito e saudável, assim se justifica a escolha deste escritor.

Bem se diz que o importante é participar, mas todos sabem quanto a organização destes eventos tem por objectivo ficar em primeiro lugar. Ainda bem que assim é pois todos se empenham em fazer o melhor e quem fica a ganhar são os milhares de espectadores que assistem a um desfile de figuras nobres, carros alegóricos, arcos e toda uma cenografia de cor, movimento e as cantigas a que ninguém fica indiferente.

Anúncios