Ricardo Dominguez

Arcozelo poderá fazer uma gracinha

Ainda menino de escola, já o desporto era o seu hobby preferido. A modalidade é que já não era muito vulgar, pois um miúdo com 10 anos só queria uma bolinha nos pés. O certo é que foi o andebol que desde cedo atraiu Ricardo Dominguez (Dominguez mas só para os amigos), e assim se fez um atleta até aos dias de hoje.

“É verdade, comecei mesmo a praticar andebol no FC Gaia, joguei até aos Juvenis, mas fui Campeão Nacional nos Iniciados do Clube, onde me mantive nove anos, realmente uma aventura na minha carreira desportiva”, afirma Dominguez.

A.V.G. Mas depois veio o futebol?

RD – Exactamente e num torneio de futebol de praia, em que apareceu na altura, Ernesto Faria que naquela época treinava o Candal, fez-me o convite e eu aceitei, prosseguindo nesse torneio, marquei quatro golos e fomos os campeões. O Mister Ernesto viu-me e abordou-me, perguntou o que é que eu fazia, falei no andebol, dando então o passo para o Futebol de 11.

AVG – E no Candal como foi?

RD – Estive dois anos nos juniores, jogando na altura no Nacional, passando depois a integrar o plantel sénior onde estive uma época. De seguida mudei-me para o padroense, retomando no final da época ao Candal, onde fiz mais um contrato de 1 ano. Oliveira do Douro e Serzedo foram as etapas seguintes, até que ingressei no clube onde hoje me mantenho, o Arcozelo.

AVG – Como é o ar que se respira neste Clube?

RD – É bom, o Arcozelo tem excelentes condições, uma organização fantástica, não tem um orçamento alto mas é cumpridor, o que hoje em dia é muito importante.

Em relação ao grupo de trabalho, é quase o mesmo de há quatro anos; conseguimos subir no segundo ano à Divisão de Honra, através de um trabalho bem elaborado e realizado.

AVG – E como é no futuro?

RD – Acho que temos todas as condições para subir aos nacionais, ambições e condições não faltam temos é que trabalhar sempre e bem.

AVG – Qual foi o treinador que mais o marcou?

RD – O Cláudio no andebol, porque sempre nos incutiu o espírito ganhador e deu-me uma grande visão da modalidade.

No Futebol? No futebol dois treinadores – Ernesto Faria e Alfredo Mendes.

O Mister Ernesto marcou-me imenso, pois foi ele que me trouxe para o futebol, para além disso é um grande homem, com um coração imenso defendendo os jogadores nos piores momentos.

O mister Alfredo, foi um técnico com quem eu evoluí bastante como jogador e ainda continuo a evoluir pois a este nível nunca tive um treinador como ele.

Falamos já no fim desta entrevista, em referências no Futebol Português, uma delas foi curiosa – como melhor jogador Dominguez elege Deco, um tecnicista nato e a figura irreversível em qualquer meio campo.

“Poderia ser o Cristiano Ronaldo” diz Dominguez, “só que um atleta tem que ser completo e a Cristiano Ronaldo ainda lhe falta a humildade”. Como dirigente, Dominguez não tem dúvida, Pinto da Costa. Quanto ao treinador e aí está a curiosidade, José Maria Pedroto, “numa fase muito importante da minha vida, a seguir José Mourinho, claro!

Anúncios