Clubes de Gaia

Na versão 2008/2009

Já rola a bola, nos campeonatos distritais da Associação de Futebol do Porto. As equipas de Gaia apetrecharam-se de modo a conseguirem os seus intentos ou seja: umas preparam a subida, outras a manutenção e algumas na luta pela permanência.

Assim, e na Divisão de Honra, o Grijó procura a estabilização classificativa, lutando de igual para igual com outras formações.

O Avintes é sempre uma equipa a ter em conta, não só pela sua cantera que traz á ribalta novos valores formados na casa, mas porque também sabe comprar os atletas que satisfaçam as suas pretensões.

O Candal, todos os anos se intromete, na luta pela subida; boas equipas e também bons stafs directivos e ainda uma boa escola de jogadores, mas a seu tempo o Clube de Rei Ramiro não tardará a dar a tão ambicionada subida aos seus adeptos. Tem termos geográficos e bem perto do Candal está o Canidelo; as suas equipas são feitas a pensar no futuro, desenvolvendo um trabalho que visa estacionar o equipa em lugar de calmaria, em enjeitar a possibilidade de sonhar mais alto.

O Arcozelo, em questões de trabalho está no bom caminho, aliás na entrevista a um dos valores do Clube de Santa Maria Adelaide, o Arcozelo pode mesmo jogar para uma eventual subida à 3ª divisão Nacional, o que era bom para Gaia, a ver vamos.

Perosinho, terra do Triatlo e da Vanessa, tem no futebol um polo de muito interesse, um clube com boas condições desportivas faz com que na Divisão de Honra o Perosinho possa fazer coisas muito bonitas.

Com a despromoção consumada, os Dragões Sandinenses: tentaram a permanência, pois o caso Apito Dourado afectou e de que maneira esta colectividade gaiense. Segundo dirigentes a aposta visa agora a formação que será o passo para um futuro melhor.

Em relação à 1ª Distrital temos o Gulpilhares que, e ao que sabemos encontra algumas restrições na utilização do sintético, irá tentar fazer uma boa campanha.

Para os lados de Soares dos Reis, o Vilanovense, o histórico Vila tem um velho conhecido à frente da equipa: Neca Espanhol e com este técnico e mais 25 jogadores o Vila tentará voltar a enriquecer a sua já longa história. No Valadares o tempo é de obras, a construção do novo complexo desportivo dará novo alento para novas lutas e, quem sabe, para patamares jamais alcançados. Crestuma irá treinar e para já no centro de Estágio de Olival, pois as obras de construção de novos balneários e um campo de relva sintética são o mote para uma época tranquila. Outro clube com um relvado pronto a utilizar e com inauguração marcada para o dia 28 deste mês, juntando-se a nova iluminação, o Serzedo, está a trabalhar para uma época em cheio.

O Leverense está na disposição de oferecer aos seus adeptos, uma época melhor que a anterior, fazer já os pontos necessários para garantir pelo menos a permanência e que por sinal dá garantias de uma boa campanha. Por fim, na 1ª Distrital temos o S. Félix da Marinha, um clube simpático com dirigentes de trabalho e dedicação, tentando oferecer boas condições lutando sempre por bons resultados, para compensar o trabalho realizado.

Depois temos as duas equipas gaienses na 3ª Divisão Nacional: o Oliveira do Douro que vem da época anterior e o Coimbrões promovido esta época.

Os Oliveirenses têm feito épocas regulares, tudo graças a uma dinâmica apresentada pela sua direcção, a competência e dedicação do seu técnico, o repetente António Pedro.

Quanto ao Coimbrões, o sonho concretizou-se. Um sonho ambicionado desde há uma década e que agora ganhou alicerces, muito por culpa das diversas direcções que têm passado por este clube situado na freguesia de Santa Marinha.

Anúncios